as cores, suas sensações e significados

27 agosto, 2007

no último post, falei do contraste quente e frio e um pouco sobre a sensação que as cores se relacionam.

eu poderia falar aqui  bastante sobre os significados das cores e os sentimentos que elas despertam…
mas achei alguém  que faz isso de forma muito legal bem mais do que eu.
http://www.mariaclaudiacortes.com/colors/Colors.html

vale a pena conferir


contraste entre cores quentes e frias

23 agosto, 2007

gelo.jpg
Com certeza você já deve ter uma idéia desse tipo de contraste. Afinal cores quentes são aquelas que lembram fogo e frias lembram gelo. Acontece que cores quentes e cores frias nos influenciam muito e não apenas psicologicamente. Em  um estudo, se  colocou algumas pessoas em uma sala cujas paredes eram pintadas de cores quentes, enquanto outras pessoas ficaram em uma sala pintada com cores frias. A temperatura de ambas as salas foi reduzida gradualmente e de maneira igual. As pessoas que estavam na sala de cor fria, começaram a reclamar do frio muito antes daquelas que estavam na sala de cor quente. Isso provou que as cores quentes são estimulantes, ativam nosso metabolismo, enquanto as cores frias ao contrário, servem como sedativos.

Os tons considerados tons quentes possuem sua máxima força no laranja-vermelho, mas também, esse contraste é representado pelo amarelo, amarelo-laranja, laranja, vermelho e vermelho- violeta. Esses tons estão associados ao Sol, são opacos, estimulantes, densos, terrosos , próximos , pesado e secos.

Os tons considerados frios possuem sua máxima força no verde- azul, mas também, esse contraste é representado pelo amarelo-verde, verde, azul, azul-violeta e violeta. Esses tons estão associados à sombra, são transparentes, sedativos, raros, aéreos, distantes*, leves e molhados.

Um fato que vale lembrar é que apesar de se fazer, instintivamente  essas associações, elas muitas vezes não correspondem com a temperatura verdadeira do corpo (olhe por exemplo o fogo azul, ou o sorvete de frutas vermelhas). Além disso, a quebra dessa associação natural entre cores e seus efeitos previsíveis pode gerar efeitos interessantes, que desafiam a mente do observador e tornam seu trabalho mais interessante. 

* as cores frias são associadas a distância, pois por causa da atmosfera, corpos que estão distantes se apresentem em tons frios, esse efeito é muito reproduzido na pintura.

após você ler esse tópico dá uma olhada nos desenhos do Picasso de novo e veja como faz toda a diferença as cores. (mais uma vez valeu Baptistão).


Contraste entre claro e escuro

17 agosto, 2007


 

Acho que o nome já diz bastante sobre o que é esse contraste.  Como não poderia deixar de ser, a expressão máxima dele se dá entre o branco e o preto. Entretanto entre eles, existe uma enorme quantidade de tons de cinza. Mesmo um observador bem treinado  pode ter dificuldades para diferenciar alguns desses de tons, principalmente os mais próximos.

Ainda mais difícil é comparar a luminosidade entre os “tons cromáticos”.  A melhor maneira de se fazer isso é compará-los aos tons não cromáticos (cinza, preto e branco). Ao  fazer essa comparação percebe-se que o amarelo é o tom puro,  de  maior luminosidade ( vale lembrar que estamos trabalhando com a roda de cor do Itten), enquanto o violeta é a cor de menor luminosidade.

Goethe, no seu livro “teoria das cores” determinou valores proporcionais a luminosidade dos tons cromáticos. o maior valor, para o tom mais luminoso e o menor para o menos:

amarelo     = 9
laranja       = 8
vermelho  = 6
verde        = 6
azul           = 4
violeta      = 3  

Um dos fatores que dificultam a comparação da luminosidade entre 2 ou mais tons cromáticos é o fato das cores frias, parecem transparentes, sem peso e claras, enquanto os tons quentes parecem opacos, pesados e escuros. 

 Outro problema que ocorre é que a claridade de um tom varia de acordo com a iluminação a que ele é submetido. Assim vermelho, laranja e amarelo aparecerão mais escuros com iluminação reduzida. Por isso uma obra-de-arte que fica exposta no interior de uma igreja escura,  é maravilhosa dentro dessa igreja, mas quando colocada a luz forte, perde suas qualidades.  E por isso, também, as mulheres usam maquiagem mais pesada para sair a noite.

Quando se começa a trabalhar com cores, descobre-se que uma cor que serve para um projeto, certamente não servirá em outro. Percebe-se que o vermelho parece muito mais vívido quando colocado entre tons escuros, enquanto o amarelo é muito mais vívido quando colocado entre tons com a mesma luminosidade ( que parecem desbotados, quase transparentes). por isso é importante saber como as cores se comportam, estar atento às suas sutilezas. 

………………………………………………………………………………………………………………………

 você deve ter achado lindo isso, mas deve estar achando quase impossível fazer a comparação de luminosidade entre tons, seja entre tons cromáticos e tons cromáticos, com não cromáticos. Ainda mais quando se está  tentando pôr essa teoria em prática. Aqui vai uma preciosa dica.  Quando se estiver trabalhando em programas gráficos, para comparar a luminosidade entre tons,  transforme-os em tons de cinza… (famoso Gray Scale). Essa transição nunca é perfeita, mas dependendo do software, é extremamente próxima da realidade ( e infinitamente mais precisos que nossos olhos). Com ela você poderá  provar que a escala proporcional feita por Goethe está absurdamente correta ( vai ter olho bem treinado assim lá na …). Além disso, você pode se impôr desafios de comparação entre tons para treinar seu olhar, e usar esse recurso como gabarito.

mais informações sobre luminosidade no contraste por extensão


Contraste de tom

10 agosto, 2007

 

fonte  da imagem :wikipedia

O contraste entre tons é o mais fácil de ser entendido. É esse contraste que nos faz, por exemplo, diferenciar uma Ferrari vermelha de uma amarela, ou a lataria desse caminhão, da  lona amarela e da caçamba azul.

O contraste entre os tons primários vermelho, amarelo e azul é o mais forte. O contraste entre esses tons é tão forte quanto o branco e preto para o contraste “claro-escuro”.

A intensidade desse contraste é menor entre tons secundários, diminui ainda mais entre tons terceários e assim por diante.

A variação na luminosidade dos tons, altera também o contraste entre eles.

O branco, o preto e o cinza são chamados tons não-cromáticos.


contraste de cor

9 agosto, 2007

 É essencial para o estudo de cores, conhecer o diferentes tipos de contrastes que existem. É o contraste que diferencia uma coisa da outra. Em “Ensaio sobre a cegueira” , José Saramago descreve a angústia das pessoas que subitamente passam a enxergar apenas um enorme branco. A primeira personagem a sofrer dessa doença a princípio não se considera cega, pois, afinal, cegueira é sinônimo de escuridão. Mas logo se dá conta de que nada serve enxergar apenas um tom, sem se diferenciar as formas, as luzes, as sombras etc. Logo, assumem que essa ausência de contraste é ,sim, um tipo de cegueira.

Johannes Itten, em ” the art of Color” descreve 7 tipos diferentes de contrastes que serão apresentados agora.


Esfera de cores

1 agosto, 2007

para um estudo mais aprofundado sobre a roda de cores, é necessário expandí-la para um corpo tridimensional: a esfera. Nessa esfera, desenvolvida por Philipp Otto Runge, os tons da roda de cor mostrada no tópico anterior, se localizam no Equador. Esses são os tons em suas saturações ( ou purezas) máximas. 

Em um dos polos se localiza o branco, enquanto no outro o preto. A esfera é então dividida em paralelos.

Ao se montar essa esfera  lembre-se que as cores do equador por estarem puras, não possuem a mesma luminosidade . assim, no amarelo, por exemplo, os tons intermediários entre ele e o branco, serão muito mais próximos ao  amarelo puro (variam muito menos entre si), do que os tons que intermediários entre ele o preto. Já no violeta os tons intermediários entre ele e o preto serão muito mais próximos ao tom original do que os intermediários entre ele e o branco.

é importante notar que na esfera, consegue-se trabalhar com os 3 componentes das cores: o tom, a luminosidade e a saturação. Assim, em torno do equador da esfera, há a mudança de tom, de um polo ao outro ocorre a variação na luminosidade das cores. e, por fim, quando se vai em direção ao centro da esfera, diminui-se a saturação das cores assim, quanto mais próximo do núcleo da esfera, mais próximo ao cinza esse tom se torna.

Com a esfera, é possível se estudar a relações entre diferenters cores, tons complementares, relações entre tons cromáticos e não cromáticos (cinza, preto, branco).

 esfera de cores

imagem feita por Mike Horvath e retirada da wikipedia.