harmonia e kuler.

14 abril, 2008


há ainda, caros amigos, um estilo de harmonia que é a chamada harmonia monocromática e da qual eu, assim como no caso da análoga, ainda procuro explicação sobre o porquê dela ser uma combinação harmônica, já que também nesse caso foge-se totalmente do contraste complementar.

segundo esse esquema o contraste se daria apenas por  variações de saturação e luminosidade. Sendo assim, todas as fotos em preto e branco seriam harmônicas. confesso que tenho lá minhas dúvidas quanto a isso, e estou procurando solucionar isso e por esa razão cito esse tema superficialmente, prefiro evitar escrever besteiras)

foto Gabriela Lancellotti

(foto tirada por Gabriela Lancellotti,  fotógrafa em amadurecimento, mas com enorme potencial. Vale a pena dar uma olhada no trabalho dela http://www.flickr.com/photos/lancellotti/ .)

 

 De qualque maneira,  é complicado trabalhar com composições harmônicas em qualquer tipo que seja.  Dificilmente nós conseguimos ter olhos suficientemente treinados para escolher os tons com muita precisão , e quando os temos, o problema pode estar no nosso monitor descalibrado. Uma ferramenta importante, utilíssima e muito simples, que permite vizualizar a teoria de combinações harmônicas na prática é o belíssimo Kuler.

o grande barato é a partir da teoria,  perceber como as combinações harmônicas são montadas em uma roda de cores com milhões de tons.  Outra função interessante é poder criar paletas de cores a partir de imagens. Há ainda a possibilidade de compartilhar paletas de cores com outras pessoas, assim como usar as que elas criaram.

 
deixo como lição de casa explorar o site. 

obs: quero deixar bem claro que nem a Adobe e nem a Gabriela me pagaram alguma coisa  pra falar bem delas.

 

 

Anúncios