nem tudo são flores para o preto

16 julho, 2007

no último post eu enchi a bola do preto falando que ele resolvia bastantes problemas. Sim, isso é verdade, mas tem-se que tomar cuidado com uma coisa quando se utiliza ele.

 em imagens impressas, as cores são posicionadas em retículas , uma maneira de se conseguir tons intermediários  ( o famoso degradê). nessa restícula as cores são dispostas em diferentes ângulos, geralmente o preto ou a cor mais visível a 45°, o ciano a 75°, o magenta 45° e o amarelo a 0°.

4screens.gif
fonte da  imagem: http://home.sharpdots.com/resources/color.cfm?HDID=GP

Acontece que quando se usa apenas o preto “k” para imprimir alguma área apenas um “ângulo” da rosácea é preenchida, assim, o preto fica “transparente”, ou seja ele não preenche totalmente a área impressa. Caso essa imagem preta esteja sobreposta a uma outra imagem do fundo, que utiliza outras cores, essa imagem aparecerá. Isso gera uma estranha sensação e incomoda o olho. Muitas vezes só se descobre isso quando o material já foi impresso, por isso é preciso tomar cuidado com esse fator. Programas como o  Illustrator permite que você configure o preto na impressão para ser sempre o preto “rico”, ou seja, não transparente.

Esse é um exemplo de preto transparente retirado de um cartaz de divulgação de uma balada. Eu dei uma pequena arrumada nas cores dele no photoshop para que ficasse mais claro o que quero mostrar. no primeiro exemplo, olhe como a faixa preta transparece a continuação do desenho à direita  e , talvez o pior, olhe como no segundo exemplo, a faixa  revela o resto do quadro branco.

preto-transparente-12.jpgpreto-transparente2-copy.jpg

 aí fica um outro conselho: cuidado com as gambiarras. Por mais que na maioria das vezes elas resolvam os problemas,
pode ser que alguma vez venha dar “zica” e o feitiço virar contra o feiticeiro. é o caso desse quadro branco, que poderia facilmente ter sido reduzido para não invadir a faixa preta, mas foi apenas coberto.

 quando for necessário refazer um trabalho, é muito chato consertar um remendo ( porque muitas vezes é difícil lembrar o que se fez, ou esse remendo não tem mais volta)


resposta às perguntas sobre cor

10 junho, 2007
  1. picasso BaptistãoNão se pode dizer que as cores são invenções de nossas mentes, pois elas dependem de um estímulo físico externo ao nosso corpo – a luz. Entretanto a interpretação desses estímulos, sim, cabe ao nosso cérebro fazer, bem como criar imagens a partir dessas informações.

  2. Algumas cores, de tons próximos ao vermelho, laranja e amarelo são chamadas de quentes pois lembram a cor do Sol, do fogo, da terra e outros objetos quentes e secos. Cores de tonalidades próximas ao verde e azul são chamadas de frias por lembrarem sombra, água e gelo. Entretanto isso é apenas aparência, afinal existe fogo azul. Olhe nessa caricatura do Pablo Picasso feita pelo Baptistão  como o uso de cores frias, ou de cores quentes altera o seu significado:

    picasso Baptistão 

    A da esquerda (a versão original) se baseia em tons quentes e mostra uma mente inquieta, o pintor em processo de criação e seu olhar dele é cheio de vida. Já a figura da direita (a que eu estraguei)  é baseada em tons frios. O pintor parece estar muito mais passivo. Ele apenas contempla o mundo, seu olhar é gelado e impessoal. O clima é melancólico, digno de sua fase Azul.

    O autor da caricatura é o Baptistão, um dos melhores cartunistas do país. Seus desesnhos são exibidos em grandes jornais e revistas do País. Ele tem um blog aonde seus trabalhos são expostos. Vale a pena dar uma olhada : www.baptistao.zip.net . Valeu Baptistão pela força.

  3. Amarelo, vermelho e azul são considerados tons primários, pois a partir deles (e suas misturas), se formam todos os outros tons de pigmentos e tintas. Podemos misturar o azul e o amarelo para obter o verde, o amarelo e o vermelho para obter o laranja e assim vai. Mas em compensação, nenhuma mistura de tintas vai resultar em uma dessas três cores. Ao se misturar essas 3 cores em suas intensidades máximas conseguiremos o preto.
    Existem algumas teorias diferentes sobre cor e por isso você pode ver tons primários  diferentes ( amarelo, ciano e magenta). Não se assuste com isso, pois na verdade esses tons são muito parecidos com o vermelho o azul e amarelo

  4. O preto, o “k” das impressoras que imprimem em CMYK, existe para dar destaque a imagens (é usado em contornos), para escrever textos (imagina escrever um texto com a letra bem pequena, sendo que cada letra seria conteria azul ciano, vermelho magenta e amarelo bem intensos misturados pra chegar em um tom próximo ao preto, a chances de se ter um texto borrado ou com fantasma de uma dessas 3 cores é bem grande) e também para se economizar tinta.

     

  5. Os televisores usam vermelho, verde e o azul com base para formar suas imagens pois suas imagens são formadas de forma diferente do que uma pintura. Na Tv se vê diretamente a luz emitida pela tela , enquanto numa pintura se vê a luz refletida pelas tintas da pintura. Uma trabalha com mistura de luz e a outra com mistura de tintas. O vermelho, verde e o azul, também são considerados tons primários, mas de quando se trabalha com a mistura de luzes. E finalmente eles são considerdos primários por corresponderem às cores melhores captadas pelas células dos nosso olhos.

  6.  O olho busca sempre estar em equilíbrio.  Por isso, quando ele é exposto a uma cor, ele tenta anulá-la procurando a sua cor oposta (ou complementar) para voltar ao seu antigo estado de equilíbrio. As cores complementares são duas cores que se localizam em pontos diametralmente opostos da roda de cor. Quando duas cores opostas e bastantes vívidas são colocadas lado a lado, como nessa placa vermelha e verde, o olho não sabe em quem se fixar já que uma cor anula a outra. A fronteira entre essas cores parece vibrar justamente porque olho procura incessantemente anular uma cor na outra.

  7. Uma das coisas que fazem alguns pintores serem considerados geniais é a maneira como eles usam as cores. Talvez o que faça deles gênios não seja um dom sobrenatural, mas a paciência que tiveram para observar a natureza e suas sutilezas durantes anos. O que eles perceberam foi que as cores sozinhas dizem muito pouco, mas que quando postas ao lado de outras assumem um sentido totalmente novo. Nesse quadro da catedral da Rouen, Monet ao pintar as sombras da catedral, ao invés de usar o preto ( que deixaria a catedral com uma cara de suja) usou um violeta escuro, cor oposta (complementar) a da catedral, que é amarelada. Ele sabia que cores opostas quando bem usadas, ressaltam uma a outra. Assim ele conseguiu dar esse efeito vívido a catedral.

  8. Harmonia cromática, não é uma combinação bonita de cores, nem uma escolha aleatórias de tons que tragam paz, tampouco uma combinação subjetiva. É antes uma escolha muito bem pensada de forma que as cores entrem em  equilíbrio. Isso se obtém através do uso de cores opostas, complementares.


algumas perguntas sobre cor

7 junho, 2007

  1. é verdade que as cores são invenções da minha mente?

  2. o que são cores quentes e cores frias?

  3. Por que vermelho, azul e amarelo são tons primários?

  4.  tá, se esses tons são primários porque o a impressora usa o K (preto) além do CMY?

  5. mas se azul-vermelho-amarelo são os tons primárias, o que justificaria a TV e o monitor do computador usarem o sistema RGB (vermelho-verde-azul)?

  6. Por que nas placa dos veículos de transporte de carga, que são pintadas de vermelho e verde, as letras em vermelho parecem ficar dançando? como nesse exemplo aqui?
    placa vermelha e verde

  7. Como alguns pintores conseguiam fazer as cores parecem ser tão vivas? Olhe esse quadro do Monet1.flickr-monetcathedraldetail.jpg 

     http://painting.about.com/od/colourtheory/ss/color_theory_8.htm

  8. o que é harmonia cromática?

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.